segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

ACIDENTE COM FALCON

Uma conversão errada de um motorista provocou um acidente que levou a morte o condutor da Falcon 400, na cidade de Campo Novo dos Parecis (380 km a Oeste de Cuiabá), no último sábado (22).
O motorista notando a gravidade do acidente fugiu do local.

QUATRO ENCIMA DE UMA MOTO

FOTO DIVULGAÇÃO PRF
No km 92 da rodovia BR-316, no município de Santa Maria do Pará, no nordeste do estado a Polícia Rodoviária Federal encontrou circulando na rodovia essa moto com 4 passageiros..
O condutor não tinha habilitação, ninguém com capacete, sem a placada, documentos atrasados.
O ocorrido foi ontem (23/11) e a PRF levou todo mundo para o posto onde fez os procedimentos e as duas menores de 16 e 14 anos encaminhadas para o conselho tutelar.
Triste realidade brasileira e devemos tirar o chapéu para os patrulheiros que não deixam esses casos passarem batidos.

MOTO CLUBES E RADICAIS ISLÂMICOS

© REUTERS / David Gray
Uma amiga Que não vejo há muito tempo costumava dizer a seguinte frase. "ME DÊ UM REAL DE BIG BIG!". A frase irônica significava que ela era uma criança e com um real de caramelo ela ficaria feliz e levaria em consideração o que eu disse. 
Quando li essa semana que passou uma matéria no site news.motorbiker.org lembrei de minha amiga e de sua frase Clássica.
“Radicais Islâmicos locais estariam se juntando a moto clubes da Austrália.”
Em todo o mundo os moto Clubes são como famílias, irmandades e os Mongóis não fogem a regra, a dificuldade de entrar nestes moto clubes é muito grande. A cultura da motocicleta é de uma origem de muita liberdade e rebeldia. Ingredientes que não combinam em nada com o radicalismo islâmico.

Acho que eu também pedir para a polícia da Austrália: ME DÊ UM REAL DE BIG BIG!

sábado, 22 de novembro de 2014

MOTO CARGA

A carga Ficou incompatível com o Veículo, coloca em Risco a Segurança, Mas Não Deixa de Ser interessante de ver essas cenas Pela Ruas de Itabuna - BA.
Resta salientar that ESSES mototaxistas that JÁ estao padronizados POUCO SE envolvem Acidentes EM.

Whatsapp e mototáxi

O whatsapp tem deixado muitos mototaxistas na cidade de Itabuna completamente distraídos. Fiquei um bom tempo olhando esse conhecido e ele não conseguia perceber.
Tempos passados ​ ficavam gritando "MOTO" Hoje tem alguns que só atendem pelo zap, zap.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

REGULAGEM INGLESA NO MOTOCICLISTA

Um motociclista resolve empinar sua moto no centro de Londres, Inglaterra. Ele só não contava em encontrar logo a frente policiais a cavalo que deram uma boa lição de moral.

O motociclista no próprio youtube comenta que fez mer... e que não pretende mais cometer o erro.



segunda-feira, 17 de novembro de 2014

SETTRAN ITABUNA

A Secretaria de Transporte e Trânsito de Itabuna virou uma verdadeira Torre de Babel cada um fala uma língua diferente e sempre sobra para o contribuinte.

“Peido Aratitaca” saiu do Setor de Mototáxi para não ter que seguir ordens do Diretor o Sargento Comunista que este ano já conduziu vários taxistas para a delegacia.


Peido Aratitaca
Os mototaxistas não passavam nas mãos do comunista, mas depois de um aperto dos vereadores o “Perfeito” jogou os mototaxistas nas mãos do Sargentão e as apostas já estão sendo feitas. Uns acreditam que até final do ano chegará a 10 o número de mototáxi conduzido para a delegacia por desacato. Sinceramente acho exagero fico com 8 conduzidos.


MOTOFRETISTAS

A situação de grande parte dos motofretistas da cidade de Itabuna é precária. A maioria que trabalha com carteira assinada não tem por parte das empresas motocicletas em condições de trabalhar e equipamento de segurança.

A fiscalização que deveria ser feita pelo município é nenhuma, nestes veículos e condutores.

BLITZ EDUCATIVA EM ITABUNA

 Hoje 17/11 aconteceu uma  blitz educativa. Você é pego em um deslize no trânsito e é convocado para ir para uma sala de aula assistir 40 minutos de palestra para não pagar a multa. Mas em infrações que demandam apreensão o veículo é recolhido.

Blitz são sempre divertidas, uns pegam os celulares e ligam para o padrinho, quem é pagão coloca a mão na cabeça esperando a casa cair encima dela e aquelas que lançam aquele olhar, depressa fofo que quero ir embora.


 Prefiro: Não Comentar

 As cinquentinhas também caem na rede.

 O não uso da viseira é o mais comum

 Alguns descartam os chinelos, pois sai mais barato que a multa, mas a viseira sempre esquece.

Para quem como eu que já levou mosquitada no olho a mais de 60 km, viseira baixa além de fazer bem ao bolso, evita dolorosas recordações.

CUSTOMIZANDO O SITE


VÍDEO: Robbie Maddison enlouquece em Parque Olímpico

Que o piloto australiano Robbie Maddison faz loucuras com sua moto todo mundo já tá careca de saber. Considerado uma das grandes feras do Motocross Freestyle com manobras de assustar e tirar o fôlego de qualquer um, desta vez Maddo resolveu testar algumas modalidades olímpicas dos jogos de inverno.
Como o clima ainda é de verão no complexo esportivo de Salt Lake City, em Utah (EUA), Robbie Maddison quis dar uma aceleradinha com sua moto em alguns locais que, digamos assim, não são tão propícios para andar de moto, como a pista de Bobsleigh (corrida de trenó) e a rampa de salto com esqui. Só vendo o vídeo para acreditar!
DETALHES
Velocidade: 71 mp/h (cerca de 115 km/h)
Distância do salto: 374 ft (114 m)
Altura do salto: 185 ft (cerca de 57 m)

Super interessante








Fonte: www.lordofmotors.com

Série limitada da Ducati Diavel

A Ducati apresentou uma série especial da Diavel que se chamará “Titanium”, sendo limitada a apenas 500 unidades.
Para essa série, o acabamento é feito de forma artesanal com o uso de materias de alta qualidade e requinte. As primeiras unidades entrarão em comercialização a partir de outubro na Europa por 29.495 euros.
Os elementos de diferenciação em relação ao modelo de série são: tomadas de ar em fibra de carbono, tanque de combustível fabricado em titânio, suporte do assento e rabeta fabricados com titânio e fibra de carbono, assento em couro de Alcântara sistema de escape tipo ‘shotgun’ de aço polido a mão, rodas exclusivas e chassi com cromados escurecidos entre outros. As demais características técnicas foram mantidas sem alteração

Fonte: sobremotos.solupress.com

Nova Honda NXR 160 Bros tem o torque que faltava

A terceira moto mais vendida do mercado brasileiro, a Honda NXR 150 Bros, ganhou uma importante atualização para seu modelo 2015. A versão de 150 cm³ já não está mais sendo produzida e será substituída pela nova NXR 160 Bros. “Baseado em nossa estratégia comercial, lançamos o novo modelo para atingirmos um nível maior de segurança e desempenho, mas sem afetar a economia de combustível e nem as emissões de poluentes. Escolhemos a motorização de 160 cm³ por isso e também para garantir um custo benefício ainda melhor para nosso consumidor”, afirmou Alfredo Guedes Junior, engenheiro da Moto Honda da Amazônia.
Além de um motor completamente novo e de maior capacidade cúbica – já atualizado conforme o Promot 4 –, a nova NXR 160 Bros também recebeu diversas alterações estéticas que a deixaram mais parecida com sua prima XRE 300. Disponível em duas versões (ESDD, disco dianteiro e traseiro, e ESD, disco somente na frente), nas cores preta, vermelha e branca, a novidade da marca da asa tem preços sugeridos de R$ 9.350 (ESD) e R$ 9.650 (ESDD). A primeira a chegar às concessionárias, em dezembro deste ano, será a versão com freio a disco em ambas as rodas, topo de linha.
VISUAL MAIS ROBUSTO
Logo a primeira vista, percebemos diferenças entre o novo modelo de 160cc e o anterior, de 150cc. As disparidades começam pela parte dianteira, cuja carenagem está integrada ao farol, que também recebeu atualizações. O painel de instrumentos, agora totalmente digital, conta com todas as informações necessárias, menos o tacômetro (conta-giros). Ou seja, velocímetro, hodômetro total e parcial, marcador de combustível, relógio e luzes indicativas do funcionamento do sistema elétrico e mecânico estão mais visíveis e de fácil interpretação. 
O tanque de combustível ganhou um design mais compacto para conseguir incluir a bomba de combustível em sua parte interna, sem perder a capacidade de 12 litros (para etanol, gasolina ou a mistura dos dois). Agora com linhas mais angulares, recebeu, também, um bocal aeronáutico, que facilita o abastecimento. Além disso, adotou carenagens laterais mais encorpadas que dão à Bros um aspecto mais robusto e de maior capacidade no fora de estrada. 
A rabeta foi claramente inspirada na XRE 300 e incorpora uma nova lanterna de lente dupla e efeito 3D. O modelo também recebeu uma alça remodelada, maior e mais resistente. A parte traseira ficou mais atraente por conta do novo escapamento, que foi reposicionado, dando à ponteira um maior ângulo de inclinação para ajudar na distribuição do peso.
CICLÍSTICA MELHORADA
Para tornar sua motocicleta on/off-road mais vendida do Brasil ainda mais atraente para o consumidor, a Honda fez alterações na ciclística da NXR 160 Bros, que resultaram numa pilotagem mais prazerosa. O modelo teve o quadro redesenhado (semiberço duplo, construído em aço). O ângulo de cáster sofreu alterações e resultou em maior distância entre eixos: 1.356 mm (3 mm a mais). Em comparação ao modelo de 150 cc, o assento ficou mais estreito e avançado no tanque, com altura de 842 mm em relação ao solo. Apesar de mais alto, o banco permite que o piloto encaixe melhor as pernas. Quem tem menor estatura consegue apoiar os pés no chão, controlando melhor a motocicleta em manobras de baixa velocidade.
Ao sentar sobre a Bros 160, percebemos também que o guidão ganhou novo posicionamento. Agora está mais alto, mais próximo ao piloto e mais largo, facilitando o alcance dos braços aos comandos. Uma posição de pilotagem que deixa os braços mais relaxados e com maior distância em relação à cintura. Por ser mais largo, o guidão melhora a dirigibilidade principalmente em velocidade baixa. As manoplas também foram trocadas e agora oferecem mais conforto e segurança ao piloto. Os comandos de punho ficaram mais modernos e atuais, recebendo novos botões.
O conjunto de suspensão é o mesmo do modelo de 150cc. Ou seja, garfo telescópico dianteiro com 180 mm de curso e balança monoamortecida com curso de 125 mm, que permite ajustes na pré-carga de mola. A compressão e o retorno da suspensão mostraram-se lentos e progressivos, transmitindo confiança e boa sensibilidade ao piloto, tanto em terrenos acidentados, quanto em estradas e trajetos asfaltados.
Os pneus utilizados, Pirelli Scorpion MT60, mantiveram as medidas: 90/90 aro 19, na dianteira; e 110/90 aro 17, na traseira; que ajudam a transpor obstáculos. Claro que, em saltos e buracos maiores, a roda dianteira revela certa limitação. Mas, a proposta da Bros não é o off-road “pesado”, mas sim proporcionar versatilidade para quem roda pelas mal cuidadas ruas, estradas e rodovias brasileiras.
A nova Honda NXR 160 Bros é fabricada em duas versões. A “ESDD” e a “ESD”. Ambas contam com disco dianteiro de 240 mm, mas só a top de linha (“ESDD”) ganhou disco simples de 220 mm também na traseira. Dessa forma, seu poder de frenagem é maior, principalmente na terra.
DESEMPENHO MELHOR
Projetado e desenvolvido por uma equipe de engenheiros brasileiros, o propulsor monocilídrico OHC (comando único de válvula) da nova Bros tem 162,7 cm³ de capacidade, é arrefecido a ar e conta com injeção eletrônica PGM-FI. Por conta de seus balancins roletados, o atrito entre as peças e a vibração do motor é menor. Assim como a cilindrada do motor, a potência e torque declarados também subiram. Quando abastecido com etanol, o novo motor da Bros é capaz de produzir 14,7 cavalos de potência as 8.500 rpm e torque de 1,6 kgf.m. Já quando roda com gasolina, o propulsor gera 14,5 cv as 8.500 rpm e torque de 1,46 kgf.m aos 5.500 giros. Para comparação, o modelo de 150cc fazia 14 cv e 1,53 kgf.m com etanol, e 13,8 cv e 1,39 kgf.m com gasolina.
No papel, pode até parecer que a melhora foi pouca. No entanto, na prática, foi uma evolução considerável, principalmente em baixos e médios regimes. “Ao projetar o novo modelo, pensamos em nosso consumidor, que utiliza a Bros para deslocamentos em estradas e nos centros urbanos. Por isso, a equipamos com um motor que entrega mais torque em rotações mais baixas, e atinge uma potência máxima em rotações mais altas”, disse Alfredo.
Na prática a NXR 160 Bros ficou mais esperta. A saída é mais rápida que no modelo anterior, assim como a aceleração e a retomada. A diferença foi nítida principalmente em subidas e em ultrapassagens. Onde a antiga versão sofria e pedia constantemente a redução de marcha, a nova versão foi bem, com muito mais fôlego e, consequentemente, segurança. A caixa de câmbio de cinco velocidades tem um bom escalonamente e suaves trocas de marcha.
MUDANÇAS DESEJADAS
No fim das contas, as alterações feitas na Bros, que a transformaram na nova NXR 160 Bros, fizeram toda a diferença. O modelo está mais esperto, ágil, confortável e seguro. De acordo com a Honda, essas eram as alterações que a maioria dos consumidores entrevistados desejava no novo modelo. Maior velocidade final para os trajetos nas estradas, mas o mesmo consumo de combustível. Mais potência e torque, principalmente em ultrapassagens e subidas. E por último, a atualização do visual.
Após este primeiro contato com a versão equipada com freios a disco na dianteira e na traseira, podemos afirmar que as mudanças eram realmente necessárias e que a motocicleta evoluiu muito e não apenas em números. Vale ressaltar que a versão de 160cc ESD, com disco só na dianteira, tem o mesmo preço do modelo de 150 cc vendido atualmente.
FICHA TÉCNICA
Motor -
 Monocilíndrico, OHC, 4 tempos, arrefecido a ar
Cilindrada - 162,7 cm³
Potência - 14,5 cv (g) a 8.500 rpm / 14,7 cv (e) a 8.500 rpm
Torque - 1,46 kgf.m (g) a 5.500 rpm / 1,6 kgf.m (e) a 5.500 rpm
Alimentação - Injeção Eletrônica PGM-FI (Programmed Fuel Injection)
Capacidade do tanque - 12 litros
Câmbio - 5 marchas
Transmissão final - Corrente
Suspensão dianteira - Garfo telescópico com 180 mm de curso
Suspensão traseira - Monochoque com 125 mm de curso
Freio dianteiro - Disco de 240 mm de diâmetro
Freio traseiro - Disco de 220 mm de diâmetro
Chassi - Berço semiduplo
Dimensões - (C x L x A) 2.060 X 810 X 1.158 mm
Altura do assento - 842 mm
Altura mínima do solo - Não Disponível
Entre-eixos - 1.356 mm
Peso - 121 kg (versão ESDD)
Cores - Preto, vermelho e branco
Preço - R$ 9.650 (ESDD)

Honda inaugura terceira fábrica no Vietnã

A Honda inaugurou sua terceira fábrica de motocicletas no Vietnã, dessa vez na província de Ha Nam. Durante a cerimônia, o Vice Primeiro Ministro da República Socialista do Vietnã, Hoang Trung Hai, representantes governamentais e autoridades locais estiveram presentes para inaugurar a planta, que fica numa área de 270 mil m².
A nova fábrica, que a 40 km ao sul da capital Hanoi, teve um investimento inicial de US$ 120 milhões com capacidade anual de produção de 500 mil unidades. A terceira fábrica da marca no país foi construída para tirar o máximo proveito dos recursos energéticos naturais, da forma mais eficaz possível e amigável ao meio ambiente. Com a terceira planta, a Honda Vietnã quer também impulsionar a exportação de motocicletas para outros países.

sábado, 15 de novembro de 2014

Indiana Jones - Motorcycle Chase (Full).

Indiana Jones - Motorcycle Chase (Full).

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

CUSTOMIZANDO O SITE


S 1000XR é a nova crossover da BMW

Líder no mercado de big-trails com a consagrada R1200 GS e referência entre as esportivas com sua S1000 RR, a BMW decidiu unir esses dois conceitos para lançar a crossover S1000 XR no Salão de Motos de Milão, realizado na cidade italiana no início de novembro. Como o nome do novo modelo sugere, ela compartilha o motor de quatro cilindros da esportiva, porém com a mesma configuração já presente na versão naked, S 1000R: com 160 cv de potência máxima a 11.000 rpm e mais torque – 11,4 kgf.m a 9.250 rpm – em baixos e médios regimes. Além disso, a nova XR traz suspensões de longo curso e uma posição de pilotagem ereta para proporcionar conforto em longas viagens.
Mas não foi apenas o motor que a nova S 1000XR trouxe de herança de suas irmãs tetracilíndricas: os faróis duplos assimétricos e as linhas angulosas da carenagem reforçam a identidade da família S1000. O parabrisa alto e os protetores de mão dão pistas da proposta mais “aventureira” do modelo. “Com essas características, aumentamos consideravelmente o potencial touring da S 1000XR”, afirmou o diretor geral da BMW Motorrad, Stephan Schaller, durante o lançamento do modelo em Milão.
EMOÇÃO E RAZÃO
Ainda de acordo com Schaller, a S 1000XR reúne emoção e razão em uma mesma moto. A emoção fica por conta do motor de quatro cilindros em linha, DOHC de 999 cm³ de capacidade. Com refrigeração líquida, injeção e acelerador eletrônico, o propulsor deriva do modelo naked, a R, e oferece torque de sobra, seja para acelerar de 0 a 100 km/h com muita rapidez ou ainda para viajar com garupa e bagagem sem problemas. E convenhamos que os 160 cv de potência máxima a 11.000 giros são mais que suficientes para atingir velocidades bem acima do permitido.
A razão já vem no tanque de 20 litros, maior que na naked, já que a 1000XR foi projetada para quem deseja viajar. O banco, inspirado no assento da linha GS, é largo e em dois níveis. Aparenta oferecer bom conforto para longas viagens, principalmente em conjunto com as pedaleiras que, na crossover estão posicionadas mais à frente e abaixo. Com isso os joelhos ficam menos flexionados e o guidão largo e mais próximo ao piloto completam a boa ergonomia da 1000 XR.
O chassi inspira-se no desenho de dupla trave perimetral dos outros modelos, feito em liga de alumínio, e trazendo o propulsor como parte integrante da estrutura. Na dianteira, a suspensão é formada por um garfo telescópico invertido de 43 mm de diâmetro com 150 mm de curso. Na traseira, a balança monoamortecida oferece 140 mm de curso. Mais que na naked, mas ainda longe de uma verdadeira big-trail para a terra.
A S 1000XR é um aventureira esportiva, com suas rodas de liga-leve de 17 polegadas, calçadas com pneus 120/70 na frente e 190/55, atrás – medidas e desenhos de motos esportivas.
BASTANTE ELETRÔNICA
Assim como em toda a linha S 1000, a BMW abusa da eletrônica na nova XR. Ela vem de série com dois modos de pilotagem – Rain e Road (um para chuva que limita a entrega de potência e outro normal) – e controle de estabilidade (ASC) que, na verdade, é um controle de tração voltado para a segurança. Mas o modelo, avisa a fábrica alemã, está preparado para receber todo o pacote eletrônico completo, como o que equipa a naked S 1000R vendida no Brasil. Mais modos de pilotagem, o Dynamic Traction Control (DTC, esse sim focado no desempenho) e o sistema de ABS Pro, que também funciona em curvas. Outro item que poderá equipar a S 1000XR é o Dynamic ESA, ou seja, a suspensão eletrônica semi-ativa.
Dessa forma, a nova S 1000XR entra com tudo na briga pelo segmento de aventureiras esportivas, que mesclam esportividade com vocação para longas viagens. A nova moto da fábrica alemã irá enfrentar a Ducati Multistrada, também atualizada em Milão, a Kawasaki Versys 1000, renovada para 2015, além da Honda Crosstourer. Contudo, a BMW ainda não revelou oficialmente quando a crossover de 1.000cc chegará às lojas e nem quanto irá custar.

Harley-Davidson LiveWire elétrica debuta na Europa no Salão de Milão

Principal novidade da Harley-Davidson no ano e uma das maiores revoluções de toda a sua história, o modelo elétrico LiveWire fez sua estreia na Europa durante o Salão de Milão 2014 (EICMA).
A Apresentação mundial do modelo, ainda sem data para chegar às lojas, foi em julho passado, nos Estados Unidos, quando o G1 avaliou a moto pelas ruas de Nova York (assista ao vídeo exclusivo ao lado).
De acordo com a Harley-Davidson, apenas 33 unidades da moto foram produzidas e fazem um tour por Estados Unidos e Canadá se submetendo a testes e opiniões dos clientes. Em 2015, o projeto se estenderá a Europa.
Movida 100% a eletricidade, a H-D elétrica tem motor de 74 cavalos de potência e 7,14 kgfm de torque, capaz de levar a moto de 0 a 100 km/h em 4 segundos. Sua velocidade máxima é restringida eletrônicamente a 148 km/h.
Apenas o conjunto de baterias pesa 113,5 kg – peso equivalente ao uma Honda CG 150 -  e a massa total da moto não é baixa: são 210 kg. Uma carga completa leva 3,5 horas para ser realizada.
Harley-Davidson LiveWire elétrica (Foto: Divulgação / EICMA)Harley-Davidson LiveWire elétrica (Foto: Divulgação / EICMA)
Harley-Davidson LiveWire elétrica (Foto: Peter Reitzfeld / Divulgação)
G1 rodou com a Harley-Davidson elétrica em Nova York (Foto: Peter Reitzfeld / Divulgação)Fonte: g1



Novo Kymco Downton 350i 2015

 A taiwanesa Kymco apresentou na feira EICMA o novo Downtown 350i, um scooter de média cilindrada de muito estilo, o qual combina elementos de estética esportiva com touring.
 Com mais cobertura de carenagem, o Downtown conseguiu melhorar o rendimento do motor, um monocilíndrico de 320 cc refrigerado por líquido de 4 válvulas e comando OHC que rende 30 CV a 7.750 rpm e 29 Nm a 6.500 rpm de torque máximo gerenciados por câmbio automático do tipo CVT, para propulsionar um peso em ordem de marcha de 189 Kg. O tanque de combustível tem capacidade para 12,5 litros.
 A suspensão traseira é com dois amortecedores reguláveis em 5 ajustes de pré-carga. O freio conta com disco de 260 mm e pinça de 3 pistões na dianteira e disco de 240 mm e pinça de dois pistões na traseira. O sistema ABS Bosch 9.1M é um opcional. O scooter foi concebido de tal forma a proporcionar melhor capacidade de inclinação em curvas, que pode alcançar até 39 graus. O conjunto ótico frontal é composto por dois faróis circundados por luzes diurnas de LED e os piscas, também em LED, são integrados à carenagem. A rodas são feitas em alumínio e a dianteira de 14 polegadas emprega pneu 120/80 e a traseira de 13 polegadas pneu 150/70.
 A instrumentação é dotada por dois mostradores analógicos complementados por um display de LCD multifuncional. Tomadas de 12 V e porta USB facilitam o uso de Smartphones. O assento biposto em dois níveis tem compartimento capaz de armazenar até dois capacetes integrais e altura do solo de 810 mm.
 A Kawasaki lançou seu primeiro scooter, o J300, baseada numa parceria de colaboração tecnológica com a Kymco. No Salão Duas Rodas 2011 a marca japonesa chegou a exibir, ainda que timidamente, alguns modelos de scooteres da Kymco, mas não levou adiante os planos de trazer a marca para o Brasil. Esse Downtown 350i seria uma ótima opção para o mercado brasileiro que, basicamente, conta apenas com os modelos da SYM, o MaxSym 400i e o Citycom 300i, comercializados pela Dafra nesse segmento.

Fonte: sobremotos.solupress.com

Borile B300 CR 2015

 Borile é um pequeno fabricante italiano de motos estabelecido desde 1988 que atualmente oferece seis modelos diferentes, entre os quais a B300 CR, cuja apresentação se deu na feira EICMA de Milão.
A B300 CR tem estilo retrô cujo motor é um monocilíndrico de 300 cc, tanque de combustível, chassi e basculante em alumínio, garfo da Marzocchi e peso (seco) de apenas 120 Kg.


Fonte: sobremotos.solupress.com

Linha de motos TSS é a novidade da Traxx no Brasil

A Traxx Motos anuncia O LANÇAMENTO DOS Novos modelos de SST 250, 150 e TSS TSS 160 Deslocamentos Como Parte da Linha 2015. motos Como foram concebidas Pela parceira Chinesa Jialing e passaram Pelo Processo de "tropicalização" para se adequarem ao Mercado Nacional. AE voltada Linha TSS AO USO urbano e Aposta los de: Não esportivo visual, com Lanternas e piscas de LED los.
A TSS 250 VEM Equipada com o motor monocilíndrico hum fazer com Injeção eletrônica e arrefecimento a Óleo. A moto Chega ao Mercado com Freio a disco Analógico NAS Duas Rodas e Painel digital, conta-giros COM. O Preço sugerido Para O Modelo E de R $ 8990.  
Ja a TSS 150, Chega Às Ruas com o motor de 150cc arrefecido carburador de um ar e Alimentação POR. O destaque do Modelo E o visual moderno com rodas de liga leve aro 18, Freio dianteiro a disco, Além de Painel com Mostrador digitais e Conta -giros Analógico. 
A TSS 150 e TSS produzidas 250 Serao na Unidade da Marca cearense los Manaus (AM). A TSS 160 E Produzida na China e ESTA recebendo adaptações Para O Seu Lançamento no Brasil, com Previsão Para O Início das Vendas los outubro de 2015.
Fotos: Divulgação
Fonte:  www.moto.com.br